Análise: a diferença de 16 pontos já é grande demais?

♠ Publicado por Daniel Keppler em ,,,,,, às 01:16
Esse ano não tem sido exatamente bom pra comentaristas e Mães Dinahs de plantão; muitos pitacos foram soltados e muitas línguas já foram queimadas.

As principais, o Mundial da FIFA tratou de unir: a conquista da Champions League pelo centenário Chelsea, vencendo o todo-poderoso Barcelona, campeão europeu... e por aqui, a conquista da Libertadores pelo nosso Corinthians, vencendo na semifinal o campeão continental... vocês sabem quem.

Porque falo isso? Por causa do Brasileirão e do dilema da vez: o que fazer até o Mundial?

Os times brasileiros vencedores de Libertadores não têm tradição de ir bem no resto do ano. Pelo contrário, chegaram a passar por sufocos históricos, quase vexatórios pra quem iria, em dezembro, representar toda a América do Sul num torneio mundial.

Agora é a nossa vez. E, apesar de uma melhora visível do time nos últimos jogos, o começo muito ruim nos fez chegar à situação atual: 12 pontos em 11 jogos... sendo que o líder tem no momento 28 pontos. São os já famosos 16 pontos de diferença.

Enquanto parte da torcida acha que ainda dá, outra parte pensa que mais vale a pena ir levando, sem pressa nem obrigações, e tornar o Brasileiro um torneio de preparação para o Japão em dezembro.

Afinal, o que pensar? Dá pra ter esperança?

Então voltamos ao início desse texto: 2012 é um péssimo ano pra previsões, tabus e pitacos. Mas a História não consegue se calar, e crava sem dúvida: o Corinthians NÃO DISPUTA MAIS O TÍTULO.

Longe disso: temos que torcer pra chegarmos entre os 4 ou 5 primeiros. É o que a História diz...

Primeiro vamos falar sobre o título: na era dos pontos corridos (desde 2003), NUNCA um time que viria a ser campeão tinha mais do que 9 pontos de desvantagem para o líder na 11ª rodada. E isso só aconteceu duas vezes, com São Paulo (2008) e Flamengo (2009). De resto, a desvantagem bate em 3, 4... 5 pontos. Em duas vezes, inclusive, o líder da 11ª rodada foi o time que seria campeão (Cruzeiro de 2003 e Corinthians de 2011). Veja a tabela abaixo.

Mas, se não disputaremos o título... até onde podemos chegar?

Quanto a isso, há alguma esperança de evitarmos um vexame. Mas temos que correr: apenas em dois campeonatos o time que estava a 16 pontos do líder na 11ª rodada chegou ao final acima do DÉCIMO lugar... Atlético-PR (sexto em 2005) e Goiás (oitavo em 2008).

De resto, campanhas medíocres... culminando até em rebaixamentos, com o Náutico em 2009. Veja a tabela:

Seria preocupante chegarmos ao Japão donos de uma campanha fraca no Brasileiro. Mas por ora, é o que se desenha. Os números são regulares demais pra serem quebrados sem que o Corinthians faça alguma forcinha... mais do que a que tem sido feita...

Sabemos que vontade não falta, mas... tem que começar a jogar de verdade! E vencer com mais frequência... parar de perder pontos como os do último empate com a Portuguesa...

Parece que os jogadores estão gostando da zona da Sul-Americana...

A diferença de rendimento do time quando apenas um ou dois titulares é poupado preocupa, E MUITO. Tem que ver isso aí.

Senão fica muito difícil 2012 voltar a surpreender, e quebrar mais um tabu no futebol!

Veremos... espero queimar a língua.

E Vai Corinthians!

0 comentários:

Postar um comentário