Al-Ahly é campeão africano; só falta um time!


Acabou de terminar a partida de volta da Liga dos Campeões da África; na ida, o Al-Ahly (Egito) tinha empatado com o Espérance Tunis (Tunísia) por 1x1, em um estádio que estava com parte das arquibancadas interditadas por causa de protestos da torcida do Al-Ahly, considerada uma das mais violentas do continente. Inclusive foi lá, em fevereiro, que ocorreu um dos maiores desastres da história do futebol, onde uma invasão de campo matou 74 pessoas e feriu outras 136 após a derrota do Al-Ahly por 3x1 contra o Al-Masry. Por conta disso, até hoje a Liga Egípcia está suspensa.

Esse fato era um ponto a mais de incentivo para o Al-Alhy vencer a Liga; seria um incentivo para o futebol no país se reerguer e recuperar seu orgulho ferido. E, com um bom futebol e aproveitando-se dos erros de passe e marcação do Espérance, que o time egípcio abriu o placar com Gedo no final do primeiro tempo.

Os times voltaram no segundo tempo com ideias claras: o Al-Ahly buscando os contra-ataques depois das investidas do Espérance, que jogava em casa e precisava apenas do empate para ser campeão. Mas, num erro do time da casa, os egípcios se aproveitaram e ampliaram com Waleed Soliman, aos 17 do segundo tempo.

O Espérance ainda diminuiu aos 40 minutos com N'Djeng, mas era tarde. O Al-Ahly ainda perdeu um pênalti; no último minuto, o ídolo egípcio Aboutrika chutou à direita do goleiro, que fez uma defesa milagrosa... mas foi isso: 2x1 para o Al-Alhy, campeão da Liga dos Campeões da CAF pela sétima vez!

Com essa conquista, e a do Ulsan Hyundai, na Ásia, durante a semana, são seis os times definidos para o Mundial. Falta apenas o campeão japonês!

Vamos conferir agora um perfil atualizado dos times que já estão no Mundial de Clubes:

VAGAS DEFINIDAS:


MONTERREY (MEX)

Confederação: CONCACAF (Américas do Norte e Central)
Fundado em: 1945
Principais títulos: 4 Mexicanos, 1 Copa do México, 2 Ligas dos Campeões da CONCACAF e 1 Recopa da CONCACAF
Posição no Ranking IFFHS: 39 (novembro)
Participações em Mundiais: 1 (2011)
Melhor posição: 5º lugar (2011)
Destaques: De Nigris,  Cardozo (ex-Boca Juniors) e Suazo (artilheiro da seleção do Chile)
Como chegou ao Mundial-2012: O Monterrey foi o primeiro time a conquistar vaga para o Mundial de Clubes. Disputou 11 jogos, sendo que nos matas-matas jogou apenas contra mexicanos. Na final, enfrentou o Santos Laguna, vencendo o jogo de ida por 2x0 e perdendo o de volta por 2x1.


Poucos eram capazes de descrever a tristeza vivida pelo Monterrey ao final da sua primeira participação no Mundial, em 2011. Os mexicanos chegaram ao Japão cercados de expectativas, mas foram derrotados nos pênaltis pelo Kashiwa Reysol logo na sua primeira partida na competição, voltando para casa com um dcepcionante quinto lugar. Porém a equipe espera fazer diferente esse ano: além de ter ganho novamente a Liga dos Campeões da CONCACAF, os mexicanos chegam ao Mundial balizados pela experiência de 2011 e prontos para fazer uma campanha superior e esquecer a frustração da última edição.

Uma vantagem que o Monterrey tem em relação aos outros é que sabe perfeitamente o que o espera no Japão: a

equipe está familiarizada com o clima e as peculiaridades do torneio. A base da última temporada foi mantida e está pronta para dar a volta por cima. O maior destaque é Suazo, considerado o melhor jogador da última edição da Liga dos Campeões da CONCACAF.

Para 2012, a promessa é a usar a experiência do passado para chegar ao pódio nessa edição, algo que apenas uma equipe da CONCACAF fez na história dos Mundiais: o Necaxa, em 2000, quando venceu na disputa ninguém menos do que o Real Madrid de Roberto Carlos, Casillas e Anelka.




AUCKLAND CITY (NZL)

Confederação: OFC (Oceania)
Fundado em: 2004
Principais títulos: 3 Neozelandeses, 4 Liga dos Campeões da Oceania
Posição no Ranking IFFHS: não aparece (novembro)
Participações em Mundiais: 3 (2006, 09, 11)
Melhor posição: 5º lugar (2009)
Destaques: Vicelich (capitão da seleção da Nova Zelândia)
Como chegou ao Mundial-2012: Após a Austrália ter mudado de confederação, da Oceania para a Ásia, não houve mais problemas para as equipes da Nova Zelândia. Na Copa dos Campeões, o Auckland sofreu apenas uma derrota, chegando sem problemas à final, contra o Tefana, da Polinésia Francesa, vencendo o jogo de ida da final por 2x1 e o da volta por 1x0.


Mesmo fundado apenas em 2004, o Auckland City é o clube da Oceania com mais participações em Mundiais: já participou três vezes da competição, a primeira delas em 2006. Em 2009, fez história com uma bela campanha, onde passou na estreia pelo Al-Ahli (campeão nacional) e depois venceu o Mazembe (campeão africano) na disputa do 5º lugar. Também estiveram no Japão, em 2011, onde dificultaram bastante a vida do anfitrião Kashiwa Reysol no jogo de abertura.
Hoje em dia, o Auckland pode se considerar o principal time da Oceania, pois é o atual bi-campeão continental, além de ter disputado até o fim o campeonato nacional.
Para o Mundial, o Auckland levará uma equipe bem semelhante com a que disputou o de 2011. O capitão é Ivan Vicelich, que disputou com a seleção neozelandesa a Copa do Mundo da FIFA 2010. O técnico Ramón Tribulietx também manteve o trio de compatriotas espanhóis: Ángel Berlanga, Manel Exposito e Albert Riera. Para completar, o clube aposta em jovens como Alex Feneridis e Adam McGeorge, que representaram o país este ano tanto na seleção principal quanto na equipe olímpica que esteve em Londres.



CHELSEA (ING)

Confederação: UEFA (Europa)
Fundado em:
 1905
Principais títulos: 4 Ingleses, 7 Copas da Inglaterra, 4 Copas da Liga Inglesa, 4 Supercopas da Inglaterra, 1 Liga dos Campeões, 1 Supercopa Europeia, 2 Recopas Europeias
Posição no Ranking IFFHS: 6 (novembro)
Participações em Mundiais: nenhuma
Melhor posição: nenhuma
Destaques: John Terry, Fernando Torres, David Luis, Cahill, Ramires, entre outros
Como chegou ao Mundial-2012: Dois foram os pontos altos do Chelsea na Champions Lague: um, nas oitavas-de-final, quando enfrentou e quase foi eliminado pelo Napoli, da Itália. Em seguida, na semifinal, enfrentou o todo-poderoso Barcelona, se classificando com um heroico empate na Espanha. Após isso, jogou a final contra o alemão Bayern München, em Munique, vencendo nos pênaltis após um empate em 1x1.

Desde que Roman Abramovich aportou no Stamford Bridge com o seu talão de cheques, na virada do milênio, o Chelsea tem vivido uma era de ouro. Foram dois títulos da liga inglesa sob o comando de José Mourinho e um terceiro com Carlo Ancelotti, mas a Liga dos Campeões da UEFA escapou de ambos. Os Blues chegaram a bater na trave em 2008, quando, dirigidos por Avram Grant, disputaram a final no Estádio Luzhniki, em Moscou, e perderam nos pênaltis para o rival Manchester United.
Mas esse ano, o então técnico interino Roberto Di Matteo conduziu a equipe ao título inédito diante do Bayern de Munique. O atacante marfinense Didier Drogba converteu o pênalti que definiu o duelo na dramática disputa de cobranças alternadas. Para Di Matteo, a vitória na Liga dos Campeões valeu a efetivação no cargo de treinador. O clube terminou na sexta posição da Premier League, mas entrou automaticamente na fase de grupos da Liga dos Campeões 2012/2013 como atual campeão.
Para o Mundial e o restante da temporada, o Chelsea passou por muitas mudanças, como as saídas de Drogba, que foi jogar ao lado do ex-companheiro Nicolas Anelka na China,  José Bosingwa e Salomon Kalou; e as chegadas de jovens talentos como Marko Marin, Eden Hazard e Oscar. Já César Azpilicueta foi contratado para preencher o vazio deixado por Bosingwa na defesa. Assim, o time que conquistou a Europa baseado em um estilo de jogo bem defensivo abriu as portas para um futebol ofensivo e de boas trocas de passe, que vem conquistando muitos admiradores pelo mundo!

ULSAN HYUNDAI (CDS)

Confederação: AFC (Ásia)
Fundado em:
 1983
Principais títulos: 2 Sul-Coreanos, 1 Liga dos Campeões da AFC
Posição no Ranking IFFHS: 33 (novembro)
Participações em Mundiais: nenhuma
Melhor posição: nenhuma
Destaques: Rafinha (ex-Coritiba)
Como chegou ao Mundial-2012: Após terminar a fase de grupos como líder da chave, o Ulsan passou pelo campeão japonês Kashiwa Reysol por 3x2 nas oitavas, em jogo único. Depois, nem Al-Hlial (Arábia Saudita) nem Bunyodkor (Uzbequistão) foram páreos, e o time coreano enfrentou o Al-Ahli, da Arábia, em jogo único na própria Coréia do Sul, onde mostrou sua superioridade e vendeu por 3x0.


Fundado em 1983, o Ulsan Hyundai mostrou força já no ano seguinte, terminando em terceiro lugar na sua temporada de estreia no Campeonato Sul-Coreano. Representada pelo Horangi (Tigre), mascote e apelido do clube, a equipe faturou dois títulos e foi seis vezes vice-campeã da K-League, conquistando espaço entre os grandes do cenário nacional. No contexto continental, despontou com uma campanha espetacular na Liga dos Campeões da Ásia de 2006, perdendo somente nas semifinais para o compatriota Jeonbuk Motors. No retorno à competição em 2009, o time não conseguiu passar da fase de grupos.
Este ano, porém, o Ulsan entrou no torneio continental para fazer história. Dirigida por Kim Hogon, no comando desde 2008, a equipe deixou todos os adversários para trás e ergueu o cobiçado troféu, além de ter concluído a temporada regular da K-League na quinta posição. O que mais chamou atenção no time foi o estilo de jogo ofensivo, principalmente na fase de mata-mata da Liga dos Campeões, onde venceu todos os seis jogos que disputou!
A força do Ulsan vem do seu quarteto de jogadores da seleção sul-coreana: Lee Keunho e o grandalhão Kim Shinwook, que formam uma das duplas de ataque mais impressionantes da Liga dos Campeões, enquanto a defesa é comandada pelo capitão Kwak Taehwi, ao lado do sólido goleiro Kim Youngkwang. Para reforçar o setor ofensivo, Rafinha foi contratado por empréstimo no meio da temporada. O centroavante brasileiro logo provou o seu talento, marcando cinco gols em quatro jogos da vitoriosa campanha asiática.




AL-AHLY SPORTING CLUB (EGI)

Confederação: CAF (África)
Fundado em: 1907
Principais títulos: 35 Campeonatos Egípcios, 35 Copas do Egito, 5 Supercopas do Egito, 1 Liga dos Campeões Árabes, 7 Ligas dos Campeões da África, 4 Supercopas da África e 4 Copas das Confederações da África e 1 Recopa da África
Posição no Ranking IFFHS: 162 (novembro)
Participações em Mundiais: 3 (2005, 06 e 08)
Melhor posição: Terceiro lugar (2006)
Destaques: Aboutrika e Hosny (os dois maiores ídolos da história do futebol egípcio)
Como chegou ao Mundial-2012: Após entrar direto na 1ª fase, sem precisar disputar a fase preliminar, o Al-Ahly passou por Ethiopian Coffee (Etiópia) e Stade Malien (Mali) antes da fase de grupos. Lá, conquistou a vaga nas semifinais em difíceis duelos contra Chelsea (Gana), o rival egípcio Zamalek e o congolês TP Mazembe. No saldo, ficou em primeiro, e enfrentou o Sunshine Stars da Nigéria, nas semifinais. Venceu com uma vitória e um empate, para na final enfrentar o atual campeão, o Espérance. Após empatar em casa, conquistou uma bela vitória na Tunísia, sagrando-se campeão da África pela sétima vez.

Em inglês, o nome "Al-Ahly" significa "O Nacional". E é assim que o clube é visto desde sua fundação, em 1907. Fundado com a aprovação dos ingleses, que na época colonizavam o país, desde o início o time era próximo do Estado. Quando da independência do Egito, o clube foi patrocinado durante anos pelo rei Fuad. Nessa época (precisamente em 1929), o clube egípcio foi o primeiro (e até hoje, o único do continente) a realizar uma excursão pela Europa, onde enfrentou Fenerbahçe e Galatasaray (ambos da Turquia), Leipzig, Munich 1860 e Tennis Borussia (Alemanha) e Levski Sofia e Slavia Sofia (da Bulgária).
Entre 1948 e 1962, o Al-Ahly conquistou 11 de 14 Campeonatos Egípcios, numa das melhores fases do clube. Logo depois, houve o golpe de Estado que levou os militares ao poder. E com eles, veio o apoio do time - e dessa forma, o apoio popular.
Enquanto crescia e conquistava títulos, o clube angariava apoio popular com ações como a que fez seus sócios participarem voluntariamente das guerras contra Israel, na década de 1960. Em 1973, o Al-Ahly pediu aos sócios que doassem sangue para os soldados feridos nas batalhas, e em 24 horas mais de 8000 pessoas atenderam ao chamado do time. 
Após uma má fase nos anos seguintes, viream os primeiros campeonatos continentais e um heptacampeonato consecutivo, entre 1993/94 e 1999/2000. Por todos esses títulos no século, a Confederação Africana de Futebol elegeu o Al-Ahly o Time do Século do continente.
Nos anos 2000, o time conquistou mais um heptacampeonato nacional (entre 2004/05 e 2010/11) e mais cinco títulos continentais, além das três participações em Mundiais de Clubes da FIFA, onde se tornou o primeiro time africano a chegar ao pódio da competição.


ÚLTIMA VAGA: CAMPEÃO JAPONÊS:

O Campeonato Japonês está na 32ª rodada, faltando apenas duas para o seu término. Nesse momento, dois times disputam o título:


Nenhum desses dois times já disputou o Mundial. Os times japoneses que já jogaram o torneio são: Urawa Reds Diamonds (3º em 2007), Gamba Osaka (3º em 2008) e Kashiwa Reysol (4º em 2011).

O fim do Campeonato Japonês é em 1º de dezembro. Então, o calendário do Mundial de Clubes estará completo!

Faltam 24 dias!!! Vai Corinthians!!!


* Fontes de informações e imagens: FIFA, O Gol, Escudos Online e IFFHS

0 comentários:

Postar um comentário