Especial Corinthian Club 130 anos - Parte 2: Fazendo História, da África aos EUA (1887 - 1906)

♠ Publicado por Daniel Keppler em ,, às 01:02
Os primeiros anos de história do Corinthian foram estrondosos para o futebol inglês, e mudariam para sempre a correlação de forças do futebol europeu. Nos primeiros anos após 1872, a Escócia era a seleção mais forte da Europa, mas a partir da convocação de jogadores corinthianos, o futebol inglês aumentou de produção consideravelmente.

Para se ter ideia da influência do clube sobre a seleção inglesa, nos jogos contra a Escócia entre 1883 e 1890, 52 dos 88 jogadores que jogaram vieram do Corinthian. Além disso, em duas ocasiões a seleção foi representada somente por jogadores corinthianos, contra Gales: uma vitória por 5x1 e um empate por 1x1.


Jogadores do Corinthian que representaram a Inglaterra contra Gales (1894)
Fileira de trás: AG Topham, LV Lodge, GO Smith, JG Veitch, R Topham, RR Sandilands
Fileira da frente: RC Gosling, LH Gay, C Wreford-Brown, AH Hossack, FR Pelly

1897: A Turnê pela África do Sul

Ao final do século XIX, em 1897, o Corinthian enfrentou um desafio então inédito no futebol mundial: uma turnê para a África do Sul, então colônia do Império Inglês. É necessário lembrar que são mais de NOVE MIL QUILÔMETROS entre os dois países. Hoje em dia já é uma viagem cansativa, imaginem há 110 anos?

Foram quatorze jogadores enviados a uma turnê de 56 dias e 23 partidas. A presença do Corinthian naquela nação, de população predominantemente européia e que já sabia dos feitos do clube, fez a turnê se tornar como uma turnê de críquete (esporte extremamente popular na África do Sul), tamanha a recepção.

A turnê começou na Cidade do Cabo, onde o Corinthian conseguiu 3 vitórias em 3 jogos; em seguida, viajou mais 1450 km, para King Williams Town, onde venceu o combinado local por 8x1. Na verdade, até a nona partida foram só vitórias, até um empate por 1x1 contra o Old Natalians. Seguiu-se uma goledada de 9x0 contra o Pretoria antes da partida contra uma seleção sul-africana da Federação Branca (isso pois apenas brancos podiam representar o país no futebol, devido ao "apartheid"). O Corinthians venceu por 3x0 graças a Topham e Stanborough, que estavam em suas melhores formas.

Em seguida veio o segundo empate, contra o combinado de Natal, por 2 a 2; então, mais oito vitórias, algumas maiúsculas como os 10x1 contra o Griqualand, o 9x0 contra a seleção de King Williams Town, o 8x0 contra o Grahamstown; e o 9x3 contra o Cape Colony. No total foram 21 vitórias e 2 empates em 23 jogos, com o Corinthian marcando nada menos do que 113 gols e sofrendo apenas 15.
 
Nenhum jogador escapou do cansaço após essa dura excursão; a viagem foi tão cansativa que a próxima turnê seria feita somente seis anos depois, em 1903, também na África do Sul.

1898 - 1904: Virando potência na Inglaterra

Enquanto isso, o Corinthian se dedicaria a aumentar sua experiência em solo inglês; para isso chegou até a infringir sua própria regra de não disputar uma competição, jogando a recém-criada Sheriff of London Charity Shield (Copa do Xerife de Londres), em 1898. Enfrentando o Sheffield United, o Corinthian perdeu por 1x0, mas durante o jogo, os jogadores do Sheffield discordaram de uma marcação do juiz e abandonaram o juiz. O resultado foi que o Corinthian foi declarado campeão, deivdo ao abandono de campo do adversário.

Após não disputar o torneio em 1899, voltou a fazê-lo em 1900. Jogando contra o Aston Villa, ainda hoje um dos mais populares clubes da Inglaterra e que na época tinha ganho quatro dos últimos cinco campeonatos profissionais, o Corinthian conseguiu outro resultado excelente e venceu o jogo por 2 a 1, conquistando o bicampeonato da Copa!

Nos anos seguintes, o Corinthian disputaria todas as outras sete edições do torneio, vencendo uma e perdendo seis:

1901: vice-campeão (0x1 para o Aston Villa);
1902: vice-campeão (2x5 para o Tottenham Hotspur);
1903: vice-campeão (0x3 para o Sunderland);
1904: CAMPEÃO (vitória por 10x3 contra o Bury);
1905: vice-campeão (1x2 para o The Wednesday);
1906: vice-campeão (1x5 para o Liverpool);
1907: vice-campeão (2x5 para o Newcastle United).

Em 1908, esse torneio seria substituído pela FA Charity Shield (ou Copa da Caridade), que em 2002 seria transformado na atual FA Community Shield, que reúne o campeão da FA Cup e da liga inglesa da temporada anterior. Na época, o campeonato envolvia times profissionais e amadores.


Durante esses anos, a repercussão dos feitos do Corinthian na Inglaterra chegou à Espanha: em março de 1902, dissidentes do Football Club Sky (que havia sido fundado em 1897) fundariam o Madrid Football Club; pouco mais de dois meses depois, conseguiram a autorização da Governadoria de Madrid.
Durante a aprovação de seu regimento, havia se decidido que o novo clube usaria camisas e calções brancos e azuis, com detalhes bordados; mas a fim de se homenagear o Corinthian Club, decidiu-se por usar camisas e calções totalmente brancos, como mostra a imagem à direita.
Em poucos anos, o clube ajudaria a organizar os primeiros campeonatos na Espanha; conseguiria o título de Real do rei Afonso XIII em 1920 e ao final do século simplesmente seria eleito pela FIFA o Maior Clube do Século XX.



Ainda durante essa época, outras vitórias expressivas foram notícia na Europa, como os 3x1 sobre o Derby Country, em 1903; e os 11x3 sobre o Manchester United, em 1904. Essa é até hoje a maior derrota da História dos Reds, e é uma partida tão histórica que em 2004 o Manchester pediu ao Corinthian uma amistoso revanche, no centenário da primeira goleada. Com a vitória por 3x1, cita-se, ao falar do confronto, que o placar "real" é de 12 a 6 (o agregado dos dois jogos).

Flâmula do amistoso-revanche entre Manchester United e o
agora Corinthian-Casuals, em 2004

1903: Segundo Tour pela África do Sul

Seis anos após a primeira turnê, o Corinthian voltou mais uma vez em uma excursão para a África do Sul. Em 13 de junho de 1903, o time zarpou de Southampton e chegou em Dunnottar Castle com boa antecedência para o primeiro jogo, em 2 de julho.

Foi novamente uma viagem de enormes proporções: foram 25 jogos em 63 dias. Destes, 22 vitórias, 2 empates e uma derrota apenas; foram feitos 72 gols, e 18 foram sofridos.

O retrospecto não foi tão bom como a turnê de 1897, mas em seis anos o futebol sul-africano tinha melhorado muito, assim como havia aumentado muito o interesse da população branca pelo esporte. Prova disso foi o crescente público que assistiu os jogos, como as 8 mil pessoas que viram a vitória de 2x1 contra o Western Province e os 7 mil que viram a vitória por 5x0 contra a seleção da África do Sul.

A turnê começou bem, com uma vitória de 8x2 sobre o Colonial Born. Depois foram outros 11 jogos e dez vitórias, até a única derrota por 1x0 cntra o Durban. Relatos indicam que era um terreno instável, embora o principal culpado tenha sido de fato a instabilidade do time naquele jogo. No fim da viagem a derrota fez pouca diferença, na realidade.

Outros jogos a se destacar foram 6x0 contra o Midland, 6x0 contra o Griqualand West e o jogo final, uma última goleada por 4x0 no segundo confronto com a África do Sul.

1904: Tour pelo Império Austro-Húngaro


Na Páscoa de 1904, o Corinthian planejava outra façanha: a de excursionar pela América do Norte. Mas houve problemas na organização e a mesma foi cancelada. Porém, por recomendação do Oxford Club (outro forte time inglês da época) e do time da Universidade de Cambridge, que haviam recentemente visitado a Hungria, decidiu-se fazer no Império Austro-Húngaro a primeira de várias turnês que o clube faria pela Europa.

A primeira partida em Budapeste foi jogada contra o Magyar Testakortok e resultou em uma fácil vitória por 6x0. Seguiu-se a esse jogo uma goleada de 9x0 contra o Budapesti Torna Club e outra mais elástica, de 12z0 contra o Magyar Athletikai Club. Após estes jogos o clube partiu para Viena, que na época, assim como parte da Áustria, integrava o Império Austro-Húngaro. Na visita à cidade apenas um jogo foi feito, contra o Viena FC, que foi batido por 7x1.

Em seguida, o Corinthian visitou Praga (atualmente na República Tcheca), onde venceu o Slavia Praga duas vezes (7x4 e 4x1), e finalmente terminou a excursão em Leipzig (atualmente na Áustria), onde, com 12  jogadores à disposição, derrotou o Verein fur Bewegungs.

1904: Tour pela Suécia e Dinamarca
.

Uma viagem para o desconhecido: essa era a melhor maneira de descrever a turnê para a Escandinávia. Naquela época, pouco se sabia sobre o futebol escandinavo. A viagem foi organizada pela Sra. Wreford-Brown, que também viajou com a delegação.

A maioria dos campos na Suécia naquela época eram de cascalho, e nos invernos frequentemente eram alagados para serem usados como pistas de gelo. Mas isso não deteve o bom futebol inglês, que venceu o Gotenburg por 6x0.  De trem, a turnê continuou até Estocolmo, onde três jogos foram marcados em Edrotts Park, um campo bonito apesar de sem gramado. Nesses jogos, a cidade viu o Corinthian vencer o Stockholm duas vezes, uma de 11x0 (com 8 gols de Moon) e outra de surpreendentes 14x1 (com 5 gols de Moon e quatro de Bryant e McIver).

O último jogo foi na Dinamarca, em Copenhagen, contra o time local, que possuía maior qualidade. Mesmo assim, foi derrotado por 4x1 pelo Corinthian.

A turnê pela Escandinávia foi tão revolucionária para os locais que, dois anos depois da visita, foi criada na Suécia a Copa Corinthian, torneio amistoso que foi disputado até 1913 entre times daquele país. Das oito edições, o Örgryt IS venceu sete (1906-09 e 1911-13) e o Djurgårdens IF, uma (1910).

Wilheim Friberg, do Örgryte, recebe a taça da Corinthian Cup após a vitória de seu time
por 5x0 contra o Djugården (1908)

1906: Tour pela Alemanha e Holanda

Na Páscoa de 1906, o Corinthian fez sua terceira turnê pela Europa. Um jogador do clube, W. U. Timmis, conseguiu arranjar duas partidas em Berlim (Alemanha) e outras duas em Haia (Holanda).

A primeira partida em Berlim foi contra Germania FC, e na chegada uma grande multidão se reuniu. O campo era duro e irregular, mas era melhor do que outros visitados anteriormente. O jogo em si foi vencido facilmente por 11x0. Em seguida o Corinthian derrotou por 12x1 os alemães do Victoria FC.

Assim, os ingleses foram para Haia, e descobriu que o futebol holandês estava em um estágio muito mais avançado do que o alemão.Mesmo assim, os corinthianos foram melhores e venceram o Hague por 5x1. No entanto o placar não refletiu a partida, pois os holandeses jogaram um futebol veloz, com muitas trocas de passes entre os atacantes.

Por fim, o Corinthian enfrentou a seleção da Holanda. Os locais, jogando de forma veloz, com muita consciência e um ataque movimentado, fez um jogo muito difícil e vendeu muito caro a derrota por 2x1; foi o encerramento de uma turnê de sucesso, preparação para o grande desafio que viria a seguir: o tour pela América do Norte, 5 meses depois.

1906: Turnê por Canadá e EUA

O Corinthian levou muito a sério a turnê para a América do Norte: era tão histórica quanto à da África do Sul, em 1887. Provavelmente foi a melhor delegação já selecionada pelo time para uma turnê.

Foi uma viagem bastante tranquila, exceto por uma tempestade que por dois dias atingiu o navio.

Corinthian na chegada ao Canadá (1906)

Ao chegarem no Quebec (Canadá), um susto: por causa de um erro, não haviam sido reservados quartos para todos os jogadores, pelo que o time foi em parte recebido na casa de um local, e lá ficaram.

No dia do jogo inaugural, outro problema: devido a um atraso de trem, o Corinthian chegou ao local do jogo uma hora e meia atrasada, deixando os 3 mil torcedores preocupados. Mas o jogo ocorreu, com vitória dos ingleses por 6x2 contra o Montreal. Depois dessa vieram mais três vitórias, até chegar a um empate no confronto com o campeão canadense, Hiron: 1 a 1.

Nos jogos em solo americano, muita facilidade, talvez a maior em todas as turnês. Os times americanos eram muito ingênuos, e foram presas muito fáceis... a começar pelo Cincinatti, que levou nada menos do que 19x0 do Corinthian Club! E isso que os visitantes (terceiro problema) perdera toda sua bagagem no trânsito, e precisou adquirir novos equipamentos para essa partida.

Outras vitórias convincentes viriam, sendo as maiores contra o All Philadelphia (12x1, para 3 mil pessoas no estádio), o Collegians (11x1) e o Nova York (demolidos por 18x0, nove gols de S. H. Day). Os dois únicos resultados negativos foram nos dois últimos jogos, quando só 12 jogadores podiam jogar: derrota por 3x0 para o Fall River e um empate final de 1x1 contra o Fore River.

--

Nos anos seguintes, o Corinthian voltaria a visitar a África e a Europa, mas nada comparado à turnê mais importante de sua História, e a que rendeu o melhor legado: o Tour de 1910, para o Brasil.


NÃO VIU OS OUTROS POSTS? CLIQUE E CONFIRA!
PARTE 1 / PARTE 3 / PARTE 4 / PARTE 5 / PARTE 6

1 comentários:

  1. Nossa, postagem sensacional!

    Muito legal realmente conhecer a história do Corinthian inglês...

    Daniel, tb tenho um site sobre o Corinthians.
    www.todopoderosotimao.com

    Parabéns pelo excelente blog!

    Vai Corinthians!

    ResponderExcluir