A 'espanholização' do futebol brasileiro em 4 atos

♠ Publicado por Daniel Keppler em ,,,,,, às 21:10

Fala Fiel!

Acredito que muitos de vocês têm muitas ressalvas a alguns jornais e sites. Eu também. E um desses sites é o R7... desde que o Corinthians rejeitou a proposta da Record, pelos direitos de TV do Campeonato Brasileiro, eles têm atacado o Corinthians e nossa Arena.

O texto como um todo tem algumas falhas, alguns vícios... típicos de quem precisa criticar o Timão mesmo quando fala mal. Então, vou pinçar aqui alguns pontos do texto, os pontos bons, pra que você, corinthiano, entenda o que o Rimoli escreveu de interessante, em três itens... vale a leitura!

1 - Cartolas adversários já admitem publicamente a supremacia corinthiana


Duas frases foram citadas no texto. A primeira, de Fernando Carvalho, ex-presidente do Inter-RS (sim, aquele do DVD):

"O Corinthians será o Barcelona da América do Sul. Pela arrecadação que tem, pelo time que tem, pelo técnico que tem. E pelo que arrecadará em um futuro próximo.
Se o comando não mudar, será o Barcelona. E será o favorito em todas as competições do Brasil e do no continente. Na realidade, isso já acontece agora. 
O Corinthians fatura o dobro de nós, Inter e Grêmio. São R$ 400 milhões ao ano. Quando inaugurar o estádio, o quadro social vai aumentar.
Hoje, está em quase 100 mil sócios. Com o estádio inaugurado, o Corinthians vai faturar R$ 600 milhões por ano. Será muito difícil ganhar deles em torneio de pontos corridos.
E o Real Madrid será o Flamengo, caso consiga se organizar.
O fim do Clube dos 13 levou a isso."

A outra declaração é de Paulo Pelaipe, que já foi dirigente do Grêmio e agora é diretor de futebol do Flamengo:
"Não tenho dúvidas que Corintians e Flamengo estarão na frente dos outros clubes do País. Só eles têm essas condições."

2 - Faturamento com TV e patrocínios não pára de aumentar

Corinthians e Flamengo são os únicos clubes que recebem mais de R$ 100 milhões anuais da TV Globo pelos direitos de TV. E esses valores devem ser bem reajustados para 2014, principalmente para o Corinthians, devido ao histórico de participações recentes em torneios continentais - enquanto o clube carioca vive uma grave crise técnica.

Nike e Adidas brigam para ver quem paga mais para fornecer os materiais esportivos para seus clubes. Em seguida à assinatura do acordo entre Flamengo e Adidas, foi feita em São Paulo uma renovação do contrato Nike/Corinthians com um forte reajuste. Já comentei esse assunto em janeiro, no post "10 fatos sobre os maiores contratos de material esportivo do Brasil".

A diferença mais gritante está no quesito "patrocínio": hoje, o Flamengo tem acordo com a Peugeot, firmado em janeiro, onde receberá míseros R$ 27,4 milhões por TRÊS ANOS de contrato. Sim, menos de R$ 10 milhões por ano. O Flamengo. Depois de mais de UM ANO sem patrocinador master (confira aqui)..

Já o Corinthians tem conseguido manter sua camisa como a mais valorizada do Brasil desde 2005, quando Kia Joorabchian, representante da MSI (lembram?) se recusou a manter o patrocínio de R$ 7 milhões com a Pepsi e exigiu uma mega-valorização. Consegui em abril daquele ano, quando fechou com a Samsung por US$ 6,5 milhões (ou mais de R$ 15 mi) - disparado o maior do país na época. 
Confira AQUI essa reportagem, de 13/04/2005
A valorização se manteve com a Medial em 2008, quando a empresa de saúde nos pagou R$ 16,5 milhões (R$ 300 mil a mais que o acordo Petrobras/Flamengo, na época); com a Batavo em 2009, por R$ 18 milhões em dez meses de contrato; com o Grupo Hypermarcas entre 2010 e 2012 (recebemos com certeza mais de R$ 120 milhões nesse período, mas parte disso ia para Ronaldo); e finalmente, com a Caixa esse ano, quando mesmo sem Ronaldo e a 9ine conseguimos fechar o patrocínio em R$ 31 milhões, mantendo nossa camisa como a mais cara do país.
3 - Ações de políticos e cartolas podem ser decisivas nesse processo


Por mais que Andres Sanchez tenha saído da CBF, ele segue sendo forte politicamente. É uma referência para os cartolas contrários às gestões de Marin na CBF e de Del Nero na FPF. Já foi especulado para substituir o "Zé das Medalhas" na próxima eleição.

E em Brasília, o Flamengo pode ganhar o maior respiro financeiro de sua história, caso as articulações políticas pelo perdão dos R$ 5 bilhões de dívidas dos clubes de futebol com o governo sejam bem-sucedidas. Isso pois o clube do Rio deve nada menos do que R$ 750 milhões - enquanto nós devemos R$ 177 milhões (confira AQUI), boa parte fruto dos investimentos feitos na infra-estrutura do clube e do CT.

4 - Arena vai turbinar bilheteria corinthiana; Maracanã é esperança dos flamenguistas


Em 2012 o Corinthians arrecadou R$ 35,1 milhões com bilheteria, recorde histórico (fonte: Balanço Patrimonial do clube, disponível AQUI). Mas a Arena vai multiplicar esses valores. Especula-se que o faturamento anual com o estádio varie de R$ 120 a espantosos R$ 200 milhões. Ou seja, o nosso Timão vai ganhar de 4 a 6 vezes mais com a Arena do que com o Pacaembu!

Já o Flamengo vive uma crise sem precedentes no que se refere a público. No Campeonato Carioca desse ano, a média de público é de 6525 pagantes. Os últimos três jogos em casa tiveram os seguintes públicos: 1413 (na derrota por 3x2 para o Boavista), 2005 (na derrota para o Audax Rio por 2x1) e miseráveis 929 pessoinhas (no empate por 1x1 contra o Duque de Caxias).

O time do Rio espera desesperadamente que, com o retorno do Maracanã, os torcedores se sintam mais à vontade para voltar às arquibancadas. E os dirigentes contam com isso, como afirma Paulo Pelaipe: "O Maracanã sempre foi a nossa casa. Quando ele estiver liberado, nós voltaremos a crescer. Serão sempre de 40 a 50 mil pessoas na nova arena.".

E você, corinthiano, acredita que o nosso Timão pode se tornar um super-time nos próximos anos? Comente!

Fontes: Todo Poderoso Timão, Meio e Mensagem

1 comentários: