Brincadeira, anti? Não... eu sei que não é

♠ Publicado por Daniel Keppler em ,, às 15:33

Ei, amigo anti... 

E aí? Já comprou os fogos pra hoje?

Sim, de uma forma ou de outra você vai usá-los. Se não hoje, em outro dia. Afinal, você adora comemorar qualquer coisa que aconteça contra o meu time.  Ah, sim, eu me esqueço que tudo se trata de uma grande brincadeira.

Mas então, me responda: já ouviu falar na expressão "Toda brincadeira tem um fundo de verdade"? Não? Devia... é um ditado muito popular e se tornou uma daquelas verdades em que todos acreditam.

E o fato é que você faz uso dele todo dia e nem sabe. É esse ditado que você usa de muleta pra dizer pra mim tudo o que pensa do Corinthians e de sua torcida, deixando de assumir qualquer responsabilidade. Afinal, é tudo brincadeira.

Não que você me ache um criminoso. Mas os 30 milhões de corinthianos são... eu sou uma das exceções.

Não que você realmente pense que eu lave dinheiro. Mas toda a Nação o fazia, quando da era MSI. Eu era um dos poucos corinthianos "honestos".

Não que eu seja um vendido, que compactua com a corrupção no governo. Mas o Corinthians, sim. É e sempre foi um time vendido e que não mede esforços pra se dar bem nas costas do povo. 

Não que eu seja assassino! Mas a torcida corinthiana é. Vai ao estádio pensando não para ver os jogos, mas sim para tentar matar ou a rivais, ou a si mesmos. Eu sou um dos poucos que não faz isso.

Vou te falar: acho que a parte da "exceção" é a brincadeira mais cruel de todas. É a sua "licença poética" pra explicar o porquê da nossa amizade, já que os corinthianos são uma raça tão suja. 

E tudo isso baseado em uma suposta liberdade que a minha amizade te deu pra você falar o que quiser pra mim, sem que eu deva me importar. Pois certamente, não é nada sério. Você não acredita em nada daquilo.

Então, pra quê me esquentar, não? Com tanta coisa acontecendo nesse mundão de Deus, eu aqui devo me importar em ser chamado de criminoso pra baixo em uma rede social, ou em uma mesa de bar? Bobagem!

Uma das frases que eu mais ouço pra corroborar esse comportamento é: "A vida é curta demais pra você levar as coisas tão a sério"... ou seja, somos xingados e a culpa é nossa.

Francamente, meu amigo, sabe o que mais me incomoda nisso tudo? É a falta de reciprocidade. Pois, quando sou EU o "brincalhão", a tal "esportiva" some da face da Terra. Ela só existe quando somos os alvos. Tem algo errado aí, não?

Ou isso TAMBÉM é uma brincadeira? Pois se for, então eu estou NOVAMENTE errado...

Então, cartas à mesa, que tal?

EU SEI que não se trata de brincadeira. EU SEI que você pensa que corinthiano é uma "raça". EU SEI do nojo que você sente das nossas vitórias. 

E EU SEI que você pode achar, às vezes, que realmente está brincando. Mas não. 

Vou te contar uma coisa: não tem como ser chamado de assassino e levar na brincadeira. Não tem como ver seu time ser rotulado de sujo e achar OK. Isso não é brincadeira. Não é normal. Não é uma das "coisas do futebol".

Mas eu também sei que você não vai mudar. Pois para você isso tudo não é nada mais do que um belo chororô da minha parte. Coisa de quem não aguenta a zoação.

O que resta, talvez, é continuar com a troca de falsidades: você finge que brinca comigo e eu finjo que levo numa boa. Assim todos seguem vivendo a vida, felizes e muito amigos.

Ou não.

0 comentários:

Postar um comentário