Não é só pelos R$ 0,20... é pela venda do Paulinho!

♠ Publicado por Daniel Keppler em ,,,, às 00:32

Não, a ideia do post não é fazer graça com a revolta dos manifestantes... mas esse título representa bem o que sinto. Pois, por mais que entenda que, talvez, seja a hora de o Paulinho nos deixar... não consigo me conformar 100% com a ideia.

No entanto, minha vontade é a última coisa que conta aqui... então o que me resta é homenagear o jogador que, nos últimos anos, mais deu o sangue pelo nosso manto sagrado. Ele merece, pelo jogador que é e por tudo o que fez pelo Timão.

Paulinho, corinthiano desde sempre
Toda criança, quando aprende o que é futebol, acaba por tomar uma difícil decisão: escolher seu time. É uma decisão que se toma muito cedo, quando ainda não se tem noção de o quanto ela vai influenciar na sua vida.
Para os jogadores de futebol, a situação é mais complicada ainda; pois, o talento para jogar bola normalmente durante ou mesmo depois que essa escolha tão difícil foi feita. E nem sempre esse garoto pode escolher jogar no time de coração... na verdade é muito mais fácil acontecer o inverso.  E muitos não conseguem fazê-lo durante toda uma carreira! O Paulinho, corinthiano desde sempre, foi um dos poucos que conseguiu... mas não sem antes passar por muita coisa na vida.

Depois de começar a jogar futsal no Lausanne Paulista, foi para o campo jogar na Portuguesa, de onde foi para o Pão de Açúcar. Com 17 anos, em 2006, fez o que muitos jovens fazem hoje em dia: aceitou ir para o exterior, jogar no FC Vilnius, da Lituânia. Mas o que parecia ser a porta de entrada para um futuro de sucesso na Europa se revelou um verdadeiro pesadelo, por conta do preconceito que sofreu tanto de torcedores quando dos próprios colegas de time.
Paulinho no FC Vilnius
Sofri com o preconceito na Lituânia. Nós entrávamos em campo e os torcedores dos outros times começavam a imitar macacos, jogavam moedas. Nas ruas, as pessoas ficavam olhando de uma maneira diferente. 


A gente saía para ir ao centro e as pessoas instigavam a gente para agredir ou falavam alguma coisa racista. Começavam a imitar macacos. Foi passando o tempo e aquilo foi incomodando. Era muito triste. 


Para escapar do racismo, Paulinho saiu do Vilnius após 38 jogos e cinco gols, para se transferir para o ŁKS Łódź, da Polônia. Fugiu do preconceito, mas os problemas não acabaram.

No ŁKS Łódź, foram poucas chances
Na Polônia eu passei dificuldades financeiras. Não era um clube grande, e a gente não ganhava muito. Era um salário baixo e a gente tinha que se virar. Segurava um pouquinho o dinheiro, porque a gente sabia que no mês seguinte poderia não receber. E eu cheguei e não joguei. Fiquei no banco praticamente a metade do ano. Toda hora saía matéria de que o treinador não me queria, queria que eu fosse embora. 


Depois de 17 jogos, sem marcar nenhum gol, Paulinho voltou para o Brasil, para recomeçar do zero no mesmo clube que o revelou: o PAEC (que mais tarde mudaria de nome para Audax). Ele ficou lá entre 2008 e 2009 e ajudou a equipe a subir de série no Campeonato Paulista, da B para a A-3. Destaque do time, fez 7 gols em 39 jogos, chamando a atenção do Bragantino - para onde se transferiu e chamou a atenção de grandes clubes devido a belas exibições na Série B-2009 e Paulista-2010.

Paulinho em ação pelo Audax
Falei que ia começar do zero! Não tinha para onde ir, não sei trabalhar, não sei fazer nada. Vou ter que jogar futebol, vou insistir. Voltei, disputei a 4ª divisão, e fui campeão. Aí saí, fui para o Bragantino em 2009, disputei uma Série B, e um Paulista. Em 2010, no Paulista pelo Bragantino, eu falei: ‘aqui eu não posso ficar mais! Tenho que ir para um time grande!

Matéria de abril/2010, sobre a contratação da "revelação do Bragantino"
No Corinthians, chegou como aposta, "revelação do Bragantino"... sem chamar tanta atenção, mas a expectativa era boa. Adaptou-se rapidamente em um time que buscava manter-se entre os melhores do país... e correspondeu. Desde que conquistou a titularidade, nunca mais saiu: três anos de Timão, onde ganhou tudo que pôde, chegou à Seleção e tornou-se praticamente uma unanimidade entre a torcida!

Não bastasse as excelentes partidas, consagrou-se com gols e assistências em jogos importantes, como quando marcou o gol da vitória sobre o Vasco, nas quartas da Libertadores-2012. Nas semis, foi dele a assistência para o gol de Sheik contra o Santos, na Vila Belmiro. No total, são 34 gols em 167 jogos, o que faz dele o 3º maior volante-artilheiro da nossa História, atrás somente de Wilson Mano (35) e Biro-Biro (75 gols).


A Seleção o valorizou
Desde 2011, Paulinho é alvo de especulações e sondagens de clubes do exterior. Algumas das equipes supostamente interessadas são: CSKA Moscou (RUS), Arsenal (ING), Inter de Milão (ITA), Roma (ITA) e Shaktar Donetsk (UCR). Mas foi o inglês Tottenham quem chegou aos valores desejados pelo Corinthians: 18 milhões (ou R$ 53 milhões), rendendo ao clube um lucro líquido de R$ 13,5 milhões.

Confirmando-se esse valor, Paulinho será a 9ª maior venda de um clube brasileiro na História, à frente da compra de Nilmar pelo Villarreal (2009) e de Fred pelo Lyon (2005).

Outra curiosidade é que foi Paulinho o jogador que mais vendeu camisas da Nike ano passado, de acordo com a própria empresa. Veja matéria correspondente nesse link.

Confira agora a lista de títulos conquistados por ele na carreira:

Títulos:
- Campeonato Paulista Segunda Divisão - 2008 (Audax)
- Acesso a Série A3 - 2009 (Audax)
- Campeonato Brasileiro – 2011 (Corinthians)
- Campeão Libertadores da América – 2012 (Corinthians)
- Campeão Mundial FIFA (Japão) - 2012 (Corinthians)
- Campeão Paulista - 2013 (Corinthians)
- Superclássico das Américas - 2011 (Brasil)
- Superclássico das Américas - 2012 (Brasil)

Prêmios Individuais:
- Bola de Prata 2011 (Placar ESPN)
- Troféu Mesa Redonda 2011 (TV Gazeta)
- Troféu Armando Nogueira 2011 (Globo Esporte)
- Melhor volante e Seleção do Campeonato Brasileiro 2011 (CBF)
- Seleção do Campeonato Brasileiro 2011 (CBF)
- Seleção do Campeonato Paulista 2012 (FPF)
- Eleito o gol mais bonito da história do Corinthians contra o Vasco
- Melhor volante da Libertadores da América 2012
- Melhor volante e Seleção do Paulistão 2012 (FPF)
- Bola de Prata 2012 (Placar ESPN)
- Melhor volante e Seleção do Brasileirão 2012 (CBF)
- Melhor volante e Seleção do Paulistão 2013 (FPF)

Bola de Prata - PLACAR (2012)
 --X--

Enfim... não sei se era a hora certa de o Paulinho deixar o Corinthians. Por mais que saiba que R$ 53 milhões é muita grana, talvez algum clube da elite europeia pudesse oferecer mais por ele no futuro.

Só que isso dependeria de seguidas boas exibições dele em campo, e temos que lembrar: esse ano não teremos mais competições internacionais, e o time não parece ser o mesmo... falta algo que nem nós mesmo sabermos com certeza o que é. Se o rendimento do Paulinho caísse, seu valor também despencaria. E teríamos no clube um jogador menos valioso e insatisfeito por não ter recebido do Corinthians a oportunidade de voltar à Europa para acabar o que começara em 2007.

Creio que, para alguns jogadores, a Europa não é um sonho apenas, mas uma necessidade. O Paulinho merece isso, e se a hora é agora, o que podemos fazer? Eu vou torcer pelo seu sucesso, para que vá para um clube maior que o Tottenham em breve... e quem sabe, volte ao Corinthians para passar os últimos anos de carreira no clube de coração... tenho certeza de que seria muito bem recebido!

Paulinho, obrigado pelos gols, pelo poder de decisão, pela garra e vontade sempre mostrados em campo. Obrigado por jogar com o coração na ponta das chuteiras, e por nunca desistir. Obrigado por ter representado o escudo do Corinthians com todas as forças, em todos os momentos. Você provou ser um guerreiro e nunca vai ser esquecido!

De revelação em 2010...
...a titular absoluto de Mano Menezes e Tite!
Ídolo por sua humildade...
... estará para sempre nos corações da Fiel!

Paulinho, valeu por tudo!






0 comentários:

Postar um comentário