75 anos do Jogo das Barricas: vergonha que não dá pra negar

♠ Publicado por Daniel Keppler em ,,,, às 22:10
Fala Fiel!

Amanhã o Corinthians volta a campo, finalmente! A Recopa vai ser a chance de conquistarmos o segundo título do ano... a terceira taça internacional desde 2012 (pra quem não tinha passaporte, até que tá bom né?). Sobretudo, vai ser a oportunidade perfeita para esse time conquistar confiança e se reconstruir tranquilamente, após a venda do Paulinho.

O adversário é excelente... vencemos todos os mata-matas contra o São Paulo no século. E a data também é, digamos, especial. Isso pois, nesse dia 3 de julho, um dos episódios mais vexatórios e humilhantes da história do nosso adversário completa aniversário...e o Corinthians participou disso, e bem!

Em 3 de julho de 1938 ocorreu a Taça Henrique Mündel, organizada pelo São Paulo com a participação de Corinthians, Palmeiras e Portuguesa. Foram três jogos eliminatórios, onde por fim o Corinthians foi vencedor, contra a Portuguesa na final.

Mas... não foi só isso. Nem de longe. E é isso que fez o episódio cair no ridículo da história dos nossos rivais!

Apesar de eles negarem até a morte. esse torneio não era apenas um amistoso com o intuito de dar ritmo de jogo às equipes durante a Copa do Mundo: ele foi criado com a finalidade única e exclusiva de arrecadas fundos para o Sâo Paulo, que passava por uma grave crise financeira. E não sou eu quem diz isso.

Confira abaixo a página 10 do jornal Folha da Manhã de 1º de julho de 1938:


Agora, veja a matéria sobre o torneio. Leia os destaques grifados:




Os são-paulinos podem até negar, MAS algumas coisas ficam claras. Transcrevi os trechos grifados pra ficar mais claro:

“Sob o patrocínio do São Paulo F. C. realizar-se-á no proximo domingo, no campo do Palestra, no Parque Antarctica, um interessante torneio futebolístico (…)”
  
“Conhecidos os quadros que tomarão parte no festival do tricolor, que são: Corinthians, Palestra, Portugueza e o promotor do torneio, vemos logo que, se o sorteio for “camarada”, indicará a realização do maior prelio que o futebol paulista póde offerecer: Palestra vs. Corinthians.

A FINALIDADE DO FESTIVAL - O torneio do próximo domingo do Parque Antarctica deve merecer de todos os bons esportistas de S. Paulo o seu incondicional apoio, visto a sua renda destinar-se a um fim nobilitante, como seja o de prestar auxilio moral e financeiro a um clube, legítimo representante do futebol bandeirante, como é o São Paulo que, lutando com as difficuldades proprias do momento, vem atravessando uma crise (…)"

UM APPELLO AOS FANS – Os socios do São Paulo, Palestra, Corinthians e Portugueza de Esportes, têm o direito de não pagar ingresso. Por nosso intermedio, no entanto, é feito um appello a todos os torcedores, indistinctamente, para collaborarem com a sua parcella, visto a sua renda reverter em beneficio do proprio futebol local.
.
Não sei qual é a definição de "esmola" de vocês, mas para mim, quando um jornal APELA para que os torcedores paguem ingressos de um jogo gratuito, para que "colaborem" com o "benefício do futebol local"... ele está SIM pedindo esmola...

Enfim. No dia seguinte, 2 de julho, a Folha da Manhã publicou outra matéria sobre o "festival", novamente falando sobre a possibilidade de Corinthians e Palestra (o grande jogo da época) se enfrentarem e conclamando os torcedores a comparecerem. Veja abaixo, página completa e matéria destacada::



Essa segunda matéria serve para mostrar mais uma evidência de que o torneio não era apenas filantrópico, como contava com um estranho e inexplicável "apoio incondicional" da Liga de Futebol do Estado de São Paulo, que ABRIU MÃO de sua porcentagem na renda dos jogos para "fazer sua parte" no auxílio ao São Paulo:

“A LIGA NÃO COBRARÁ PORCENTAGEM – Conforme é corrente, a renda do festival em questão será em beneficio do São Paulo F. C., tanto assim que esse clube, pede, por nosso intermedio, que todos os affeiçoados contribuam com sua parcella, adquirindo ingresso, apesar do direito que assiste aos socios do São Paulo, Palestra, Portugueza de Esportes e Corinthians de não pagarem entradas."

"A L.F.E.S.P. querendo contribuir para o maior exito financeiro do festival abriu mão da porcentagem que lhe cabe, dando assim um bello exemplo do seu incondicional apoio ao tricolor.

Não posso deixar de citar os relatos da época, sobre as barricas instaladas nas portas do Palestra Itália, para que os torcedores doassem algum dinheiro durante o torneio; nem posso me esquecer de que o presidente do time, Porfírio da Paz, circulou por entre as arquibancadas com uma bandeira do clube, para o público atirar moedas e reforçar a brincadeira toda. 

Curiosamente, os mesmos veículos de comunicação que tanto se esforçaram a promover o festival e incentivar os torcedores a pagarem ingresso de um torneio gratuito não dedicou uma linha sequer a falar, por exemplo, a renda dos jogos. Assim, simplesmente NÃO SE SABE quanto o São Paulo levou nessa brincadeira toda. Não se sabe!

Acredito que esse "esquecimento", ou omissão, tenha sido um dos motivos que deram ao Jogo das Barricasa importância que ele tem. É só juntar os pontos: (1) Sabemos que o time estava em grave crise financeira. (2) Sabemos que ele embolsou toda a renda do torneio. (3) No fim das contas, não faliu: segue ativo até hoje. 

Então, não fica difícil concluir que, DE FATO,  Corinthians, Palmeiras e Portuguesa ajudaram o São Paulo a se salvar da falência. Se não foi uma doação direta, foi indireta... e nem 75 anos de desmentidos vão mudar isso.

Só posso dizer uma coisa: DE NADA, SÃO PAULO


(Parte desse post é uma reprodução do artigo "JOGO DAS BARRICAS, 03/07/1938 – Parte I", do blog Cruz de Savóia)

1 comentários:

  1. São Paulinho, suas glórias, vem do passado? hahahaha
    time medíocre....

    ResponderExcluir