Acidente na Arena: luto pelas mortes e medo pelo clube

♠ Publicado por Daniel Keppler em ,,,,,, às 16:09

Nada mais irônico que um acidente desses acontecer justo em um 27 de novembro, dias do Técnico de Segurança do Trabalho e do Engenheiro de Segurança do Trabalho.

Ainda tô chocado com o que vi nessas últimas horas. Uma obra que durante anos correu bem, sem um problema sequer, dando mostras de que poderia se tornar um exemplo. Hoje, fomos confrontados com outra realidade: a de que nada, nem ninguém, está imune. Um erro, e duas pessoas morrem tragicamente.

Não dá pra saber direito o que aconteceu, mas segundo a Carta Capital (nesse link), "cinco operários da obra disseram que o chão sob um guindaste usado na obra cedeu enquanto uma peça era erguida, por volta das 12h50. A peça, então, teria começado a balançar até cair sobre a arquibancada, levando consigo o guindaste. Duas outras pessoas, um gari e um vendedor ambulante, disseram ao jornal que viram a peça balançar e bater na estrutura principal do estádio". O painel de LED, aliás, foi destroçado nesse trecho. Um caminhão também foi esmagado, e lá foi encontrada a primeira das duas vítimas fatais confirmadas até agora (chegaram a falar de três, mas por enquanto são duas).

Essa foto do Estadão (link) me levou achar que isso pode ser verdade... o que vocês acham?






Nesse link tem uma galeria de imagens, agora do G1. Não recomento ler os comentários, terminantemente. 

Enfim. Daqui pra frente, nossa Arena ganha um capítulo muito triste, e que será inesquecível. A própria Copa do Mundo ganha uma mancha, um asterisco daqueles que vai ganhar espaço em todas as retrospectivas que falarem do evento, no futuro. Trágico, nada mais que isso.

O Corinthians soltou rapidamente uma nota (link) e decretou sete dias de luto (link). Mas isso não basta. O mínimo a se esperar é que, SIM, as obras parem, pelo menos naquele trecho, para que as autoridades apurem tudo o que tiver que ser apurado. Além disso, Odebrecht e Corinthians precisam prestar toda e qualquer assistência, suporte, a todas as famílias envolvidas. E isso ainda é pouco, pois nada vai trazer de volta as vidas dos que estavam lá, trabalhando na realização do sonho de tantos outros.

Que Deus ampare e dê conforto a esses familiares. Hoje, a Fiel está de luto.

Queria muito parar por aqui... me resumir a pensar somente nas vítimas. Mas o desastre não se resume ao campo emocional. Ele afeta, e desde já, a todos. Inclusive nós, torcedores.

Já começaram a explodir em todos os lugares os mais perfeitos exemplos de até onde vai a boçalidade humana, em mensagens de comemoração (oi?) às mortes. Ou de lamentação, por terem sido "só dois ou três" (afinal poderia ter ocorrido "na abertura"). E essas são as mensagens leves. Outros pegam mais pesado e estão tornando as matérias sobre o acidente impossíveis de ler.

Mais uma vez veremos nosso time (e nós mesmos) associados a mortes extra-campo. Passaram-se apenas 9 meses desde o caso Kevin, e muita gente não se conformou com o fim dado ao processo. Agora, as mortes foram no Brasil, em São Paulo, praticamente debaixo dos nossos narizes. Os próximos meses serão de uma perseguição e rotulação que talvez nunca tenhamos presenciado antes. Precisamos nos preparar pra isso.

Além disso, precisamos nos preparar para ver o Corinthians sofrer e sangrar também. O acidente acabou de acontecer, pouca coisa se sabe de concreto, mas não acho impossível que as obras não sejam só paralisadas, mas embargadas. Não é impossível que um Ministério Público da vida não tente responsabilizar criminalmente o Corinthians pelo acidente. E isso pode fazer o nosso time voltar às páginas policiais. Eu vivi essa realidade na época da MSI e achei que isso nunca voltaria a acontecer.

A FIFA já se manifestou através de nota (clique aqui para ler), falando em nome dela e do Comitê Organizador. Mas se resumiu a falar sobre a importância da segurança nas obras e que não vai falar nada, por enquanto, sobre os efeitos do atraso que as obras VÃO sofrer. Isso me preocupa. E se o cronograma das obras for ajustado e não bater com a data da abertura da Copa? E se a Arena for excluída?

Isso significa que a Arena não teria mais direito à linha de crédito especial do BNDES, o que faria o clube pagar mais pelo empréstimo - ou nem contrai-lo, já que o contrato ainda não foi assinado. 

Além disso, os naming rights não foram negociados ainda. Na ânsia de conseguir R$ 400 milhões e nada menos, nenhuma empresa havia fechado. Ninguém esperava que algo assim fosse acontecer... mas agora, aconteceu. E esse acidente deve afetar os valores. Será que vamos conseguir manter as negociações?

Apesar de confiar no Andres, tenho medo de que o Corinthians tenha que pagar do próprio bolso muito mais pela Arena do que pagaria antes. E não sei se nossas contas estão prontas pra isso. Temo que vivamos um período tenebroso no futebol, no futuro próximo.

Não me xinguem, nem me condenem, por estar pensando nessas coisas agora. Logicamente, a prioridade é atender às vítimas e suas famílias. Não acho nada diferente disso.

Mas isso tudo passou pela minha cabeça nessas horas, e eu tinha que botar pra fora. Quis dividir com vocês, que talvez entendam minhas dúvidas, meus medos. 

Esse sou eu, hoje. de luto pelos operários, e com muito medo pelo Corinthians.

0 comentários:

Postar um comentário