[Repost] A Arena Corinthians para todos os corinthianos

♠ Publicado por Daniel Keppler em ,,,, às 19:46

URGÊNCIA DE UMA POLÍTICA DEMOCRÁTICA DE TRANSPARÊNCIA E JUSTIÇA NO ACESSO À ARENA CORINTHIANS

Senhor Mario Gobbi e diretores do SCCP,

É constrangedor? Sim. Mas temos que lembrá-los, mais uma vez, daquilo que determinou nosso primeiro presidente, Miguel Battaglia, em 1910: “este é o time do povo, e é o povo que vai fazer este time”.

No que tange à política de acessos à Arena Corinthians, em Itaquera, os senhores aparentemente desconsideram a mensagem dos fundadores e encetam ofensiva sem precedentes em favor da elitização do espetáculo esportivo.

Se os senhores são realmente dignos de gerir a maior instituição popular do país, aprendam: não é assim que se faz. É preciso ouvir a Fiel, é preciso dialogar, é preciso preservar o valioso ensinamento da Democracia Corinthiana.

Se há um novo estádio construído, ele tem origem no suor e no sangue de milhões de corinthianos, vivos ou mortos, que lutaram para concretizar este sonho. E seremos nós os responsáveis por pagar a conta desta obra monumental.

Portanto, não tapem os ouvidos, tampouco fechem os olhos à realidade. Se concordam em gerar diálogos, entendimentos e ritos de cooperação, prestem atenção a estas reivindicações.

1) Dialoguem com civilidade, como convém na tradição corinthianista. Chega de ironia, cara feia e arrogância. Essa postura não combina com líderes de verdade. Deixem de lado os tecnicismos. A realidade contempla a Contabilidade, mas também os sentimentos humanos. Acordem!

2) Façam com que os ouvidores do Fiel Torcedor sigam essa lição. Se eles são remunerados, que trabalhem e honrem o que ganham. Que sejam menos indolentes e menos carrancudos.

3) Preços devem ser fixados a partir de dois parâmetros: a necessidade de quem vende e a disponibilidade de quem compra. Os senhores, equivocadamente, miram somente o primeiro personagem do jogo das trocas econômicas. Nossos salários e rendas não foram subitamente elevados apenas porque o Corinthians inaugurou sua arena. Bom senso é bom. Pratiquem-no.

4) Valores devem ser reajustados, evidentemente, mas basicamente em função dos indicadores de inflação. O Corinthians não vive num Estado paralelo, em que os preços podem se elevar bruscamente do dia para a noite. Foi o que os senhores fizeram com os valores dos ingressos, especialmente no programa Fiel Torcedor.

5) O Fiel Torcedor tem, sim, suas virtudes. Não as negamos, pois se inserem no contexto do moderno e cômodo comércio eletrônico. Ele reduziu sensivelmente a ação dos cambistas no processo de venda de ingressos. É também uma forma de organizar e agilizar o acesso ao estádio. No entanto, muitas correções devem ser feitas na gestão do programa.

6) O sistema não pode, jamais, constituir castas de privilegiados, tampouco impedir que outros aficcionados tenham acesso ao estádio em dias de jogos. O FT não pode restringir, tampouco gerar obstáculos à participação da nação alvinegra. Saibam: somos 30 milhões de almas, e não apenas 68 mil.

7) O novo sistema de setorização do estádio foi, sem dúvida, produzido sem o devido critério. Resultado: torcedores claramente prejudicados em suas escolhas, de locais e preços. Nesse ponto, exige-se correção imediata.

8) Percebam quão absurda é vossa política. Como pode um Fiel Torcedor ser reduzido à categoria de membro de um clube de compras? Por que pode pagar por um ingresso, mas não pode ter voz e voto no clube do coração? Por que os senhores caminham, neste particular, na contramão da história?

9) E é tão injusta quanto ridícula vossa fórmula que impede o acesso de sócios patrimoniais ao sistema de comercialização de ingressos. Isso quer dizer que um filiado do SCCP pode, um dia, tornar-se presidente da instituição sem jamais ter pisado em uma arquibancada. Falando sério: os senhores têm ideia do absurdo dessa política?

10) Os senhores já foram crianças? Acreditamos que sim. Portanto, foi nessa fase da vida que constituíram vossos amores e fascinações esportivas. Os senhores eliminaram as isenções garantidas aos meninos e meninas que agora se iniciam no corinthianismo. Ao mesmo tempo, oferecem descontos de faz-de-conta para os dependentes do FT. Como pretendem cativar a nova geração de torcedores-consumidores? Convém ainda que concedam justas facilidades aos irmãos da melhor idade. Afinal, foram eles que consolidaram, com muito esforço, a tradição corinthiana.

11) O FT, aliás, está intoxicado pelo vírus das restrições. Os senhores ainda não notaram a diversidade dos núcleos familiares atuais? A corinthiana associada quer acessar o novo estádio com seu companheiro. Os enteados e sobrinhos também desejam acompanhá-los. Se o Brasil tanto avançou na compreensão dessa complexidade, como os senhores podem ter retrocedido tanto? Por favor, respeitem a família corinthiana.

12) Somos também obrigados a considerar escandalosa vossa política de aplicação de castigos. Quem cancela um plano do FT, agora, é obrigado a cumprir uma “quarentena” de um ano. Em que escola de marketing os senhores aprenderam essas estratégias de relacionamento com o cliente? Será que faz sentido? Será que agrega valor, ainda que comercialmente, ao SCCP?

13) Também é certo que o Corinthians tem seguidores em todo o Brasil. Os senhores foram a Manaus assistir ao jogo da equipe? Se foram, viram a quantidade de aficcionados locais? O FT não pode se restringir ao torcedor paulista, o que comparece todas as vezes, por proximidade. Esta é uma cidade de passagens. É preciso criar mecanismos para a venda de ingressos fora do Fiel Torcedor. Discriminar o corinthiano de fora, igualmente, não nos parece uma condizente com a tradição do Corinthians.

14) Ao mesmo tempo, sabemos que alguns dos corinthianos não podem comparecer sempre ao espetáculo. Por quê? Porque ainda não recebem proventos maiúsculos. Porque labutam nos horários de jogos. Porque têm compromissos familiares. Portanto, é urgente a criação de meios para garantir o acesso também desses irmãos alvinegros. Crie-se o FT dos que vão menos. Constitua-se uma forma confiável de vendas avulsas.

15) Na realização da Copa do Mundo, dá-se atenção especial, por exemplo, a torcedores portadores de limitações físicas e a obesos. Aprendam com essa experiência. Percebam também os senhores a diversidade. Prestem atenção nas particulares e necessidades das pessoas que amam o nosso Corinthians.

16) Ouvimos muito falar em transparência. No entanto, parece-nos opaca a parede que nos separa da gestão do Fiel Torcedor. Gostaríamos de saber quem o administra e quanto recebe pelos serviços prestados. Não pode o próprio clube gerir este segmento de negócios?

17) Leiam a história, senhores. O Corinthians é, desde sempre, uma referência de difusão do pensamento democrático neste país. Nossa tradição é de solidariedade. Nascemos para criar protagonismos populares. Portanto, não se atrevam a fechar as portas da Arena Corinthians para o povo da Itaquera trabalhadora e do resto da periferia. Nosso estádio até pode servir para vossas festas VIP. No entanto, não pode ser território restrito à “gente diferenciada”. Deve também funcionar como pólo irradiador de cultura e cidadania na Zona Leste da cidade.

18) Se os senhores pretendem fazer caixa para pagar a dívida contraída com a construção da Arena, evitem o recurso fácil à exploração voraz do torcedor-consumidor. Tampouco se fiem na assiduidade dos vossos confrades da elite, que dificilmente se deslocarão a Itaquera em dias frios, com o time já desclassificado de um torneio de menor importância. Em vez disso, acreditem no povo. E para fazer tilintar o dinheiro em vossas caixas registradoras, apostem no volume. Baixem o preço e a Fiel lotará sempre a praça esportiva. Não se trata apenas de uma comportamento que contempla a justiça, mas também de uma estratégia sensata de ampliação de receitas.

Abram os olhos, estendam as mãos, compreendam as demandas dos donos do Sport Club Corinthians Paulista. Os senhores são nossos delegados na gestão da instituição. Convém que busquem aprimorar vossas condutas na troca de experiências com o povo corinthiano.

Que o “mais brasileiro” converse já, sem melindres, com os filhos desta mãe gentil.

RESISTÊNCIA CORINTHIANA
BRIGADA MIGUEL BATAGLIA

Maio de 2014.

[Link original aqui]

0 comentários:

Postar um comentário