Pós-jogo: Corinthians 6x1 São Paulo - Espetáculo de campeão

♠ Publicado por Daniel Keppler em ,,,,,,,, às 22:54
Foto oficial do Corinthians, campeão brasileiro de 2015
Foi uma tarde simplesmente mágica para o Corinthians e sua torcida. No jogo do reencontro após a conquista do hexa, não houve espaço para piedade: o campeão brasileiro humilhou seu rival, vencendo por incontestáveis 6x1 - nada mais, nada menos que a maior goleada já aplicada na história do Majestoso.

O jogo tinha tudo pra ser difícil para o já campeão Corinthians. Clima de festa, apenas três titulares em campo, e um adversário que prometia criar problemas. afinal precisava muito da vitória para se manter no G4. E, na verdade, quem olhasse os números da partida sem saber do placar final ficaria à vontade pra arriscar que houve algum equilíbrio. Afinal, o São Paulo teve mais posse de bola (57% a 43%), trocou mais passes (425 a 405), chutou mais a gol (17 a 11) e cobrou mais escanteios (9 a 3) - os números são do Footstats.

Mas o que se viu em Itaquera foi um verdadeiro espetáculo do Corinthians. O Timão foi superior ao São Paulo durante absolutamente toda a partida. Deu um show de eficiência, individual e coletiva - mesmo se tratando de um time praticamente todo reserva, onde um possível desentrosamento seria perdoável, até mesmo esperado. Mas a impressão que ficou, ao final do jogo, é que esse time jogou junto durante toda a vida, tamanha a superioridade...

Foi, com certeza absoluta, a melhor partida do time na temporada, mesmo comparando com outras exibições brilhantes como os 4x0 contra o Once Caldas (pela Pré-Libertadores), que os 2x0 contra o próprio São Paulo (na estreia da fase de grupos do mesmo torneio) e os 4x1 contra o Atlético-PR e os 3x1 contra o Atlético-MG, pelo Brasileirão. Foi, também, a prova final definitiva de que esse campeonato não poderia ter nenhum outro campeão que não fosse o Corinthians!

1º tempo: Jogando nos erros do rival

O mosaico 3D ficou assim (imagem extraída do video do Meu Timão)
Os 44976 torcedores que foram à Arena Corinthians, em mais uma quebra de recorde de público do estádio (como direito a mosaico 3D), queriam muito uma vitória alvinegra, para que a festa pelo hexa ficasse completa. A apreensão, porém, era natural, já que o time escalado por Tite era praticamente todo reserva. No entanto, esse temor foi passando conforme o tempo passava, e o equilíbrio se mantinha.

O São Paulo bem que tentou impor seu ritmo de jogo: marcação avançada e intensa troca de passes, na tentativa de encurralar o Corinthians. Mas faltou eficiência, e apenas uma chance criada foi a gol, aos 15 minutos: Bruno Henrique perdeu a bola para Alan Kardec, que tocou para Rogério - mas o chute saiu fraco e facilitou a defesa de Cássio.

Depois desse lance, o equilíbrio foi dando lugar a um domínio do Corinthians, que só aumentou com o tempo, e que logo se traduziu em gol: aos 25, Bruno Henrique recebeu cruzamento de Lucca e cabeceou bem, para boa defesa de Denis. No escanteio, Uendel mandou para a área e Felipe mandou de cabeça; Denis defendeu, mas Bruno Henrique aproveitou o rebote e fez explodir a Arena: Corinthians 1x0!

O paraguaio Romero brilhou no clássico (Foto: Meu Timão)
Apenas dois minutos depois, o enredo chance perdida + gol de repetiu, agora com o paraguaio Romero. Primeiro, ele quase marcou após receber lançamento e chutar de primeira, mas Denis evitou o gol e cedeu mais um escanteio. Na cobrança, o paraguaio de 1,76 subiu entre dois marcadores e marcou, de cabeça, o segundo gol da tarde.

A vantagem levou a torcida à loucura, e  já era possível ouvir os gritos de "olé" a cada troca de passes do Corinthians. Já dentro de campo, o time teve tranquilidade para ditar o ritmo de jogo a partir de então. A apatia são-paulina, que parecia não reagir à derrota parcial, também ajudou muito. Nem a confusão entre Fagner e Tiago, aos 33 minutos, e que rendeu amarelo a ambos, desconcentrou o Alvinegro, que a essa altura já dominava as ações.

Antes de o primeiro tempo terminar, ainda houve tempo para mais um gol: aos 45, Danilo cruzou da esquerda e Edu Dracena cabeceou firme; De novo, o goleiro são-paulino deu rebote, que o próprio zagueiro conferiu! A vitória virava goleada em Itaquera!

2º tempo: Vira 3, acaba 6? Acaba. sim!

O São Paulo mudou no segundo tempo, para tentar reagir na partida. No entanto, as alterações não conseguiram tornar o time melhor. A impressão é que os próprios jogadores sabiam que o placar era irreversível. E na verdade, tudo ficaria ainda pior.

Com 15 minutos de jogo, após algumas chances criadas ali e aqui, sem perigo, aconteceu o lance que valeu o ingresso do jogo! A belíssima jogada coletiva, que começou com Felipe e Fagner, até chegar a Romero pela direita; o paraguaio tocou para Bruno Henrique na entrada da área, que após lindo drible tocou para Danilo. Genialmente, o meia mandou de letra para Lucca, que de primeira chutou no ângulo e marcou um golaço (veja abaixo no video): Corinthians 4x0, fora o baile!


Sem tirar o pé, logo veio o quinto gol: aos 18, Fagner viu Romero livre e acertou ótimo lançamento; o paraguaio recebeu, avançou pela direita e chutou cruzado - a bola ainda desviou em Hudson antes de entrar. Foi o segundo gol do atacante, coroando uma atuação inspirada nesse domingo.

Torcida do SP abandonou a partida durante o 2º tempo (Foto: Meu Timão)
A essa altura, a festa já era absoluta na Arena Corinthians. Revoltada, a torcida do São Paulo começava a abandonar o estádio - mesmo faltando meia hora para o jogo acabar. Acabaram impedidos pela PM de ir embora, por questões de segurança.

Logo em seguida, ocorreu o gol de honra dos visitantes: aos 24 minutos, Alan Kardec cruzou da direita, rasteiro, e Carlinhos aproveitou de carrinho, diminuindo a surra corinthiana.

Porém, como tem dias em que nada dá certo, a humilhação ainda aumentaria: Romero passou por Reinaldo e foi derrubado na área: pênalti, cobrado e convertido por Cristian. Agora, Corinthians 6x1!

Ainda houve tempo e oportunidade para o São Paulo diminuir novamente. Aos 34, o árbitro Péricles Bassols viu pênalti de Edu Dracena em disputa com Carlinhos na área. Mas na cobrança, a estrela de Cássio brilhou e o goleiro defendeu o chute rasteiro de Alan Kardec. Foi a deixa para a torcida visitante ir embora de vez, agora autorizada pela PM.

O jogo prosseguiu morno até os 45 minutos, quado o juiz deu fim ao segundo tempo. Foi a maior goleada já aplicada em um Corinthians x São Paulo em toda a história, em um jogo que simbolizou o excelente trabalho coletivo praticado pelo técnico Tite - afinal, todos os seis gols do time foram marcados por jogadores considerados reservas. Não à toa, ele foi ovacionado pela torcida, ao receber sua medalha de campeão no pódio.

Crítica: oportunismo gratuito de Roberto de Andrade

Foi no pódio, aliás, que aconteceu o único lance negativo da festa corinthiana na Arena. Nosso presidente, Roberto de Andrade, subiu ao pódio junto com Ronaldo para receber a taça de campeão brasileiro. Em uma atitude que, seja consciente ou intempestiva, foi totalmente despropositada, Andrade a levantou como se fosse um jogador do time!

Foi um momento de vergonha alheia e constrangimento absoluto. Faltou ao presidente muito senso crítico, pois o momento era dos atletas. Com essa atitude, ele roubou parte de um momento que era de consagração para Ralf, após anos de clube e 351 jogos disputados, com muita lealdade. O mínimo que ele deveria fazer era pedir desculpas, por ter tentado aparecer quando não devia!

Mas aqui nesse blog, damos destaque a quem merece. E esse alguém é o Ralf:
Ralf, o verdadeiro merecedor de levantar a taça do Brasileiro (Foto: Ig)
Confira os melhores momentos da goleada corinthiana:

Parabéns Corinthians, o campeão dos campeões!

FICHA TÉCNICA: CORINTHIANS 6X1 SÃO PAULO
Local: Arena Corinthians
Data e hora: 22 de novembro de 2015, domingo, às 17 horas (de Brasília)
Árbitro: Péricles Bassols Pegado Cortez (Fifa-RJ)
Assistentes: Danilo Ricardo Simon Maniz e Miguel Caetano Ribeiro da Costa (ambos de SP
Público: 44.976 pagantes (total de 45.469)
Renda: R$ 2.939.497,50
Cartões amarelos: Fagner (Corinthians); Bruno e Thiago Mendes (São Paulo)
Gols: Bruno Henrique (1x0, 26' 1T), Romero (2x0, 28' 1T), Edu Dracena (3x0, 45' 1T), Lucca (4x0, 15' 2T), Romero (5x0, 18' 2T), Carlinhos (5x1, 24' 2T) e Cristian (6x1, 30' 2T).

CORINTHIANS: Cássio; Fagner, Felipe, Edu Dracena e Uendel (Yago); Ralf, Bruno Henrique, Danilo (Lincom), Rodriguinho (Cristian) e Lucca; Romero. Técnico: Tite
SÃO PAULO: Denis; Bruno (Reinaldo), Rodrigo Caio, Lucão e Carlinhos; Hudson, Wesley (Edson Silva), Thiago Mendes e Michel Bastos; Rogério (Luis Fabiano) e Alan Kardec. Técnico: Milton Cruz (interino)

2 comentários:

  1. Cara você passa batom na boca ????, isso daí valia o que para o SPFC ??? apenas vaga no G4 huahaua, perai você disse que o SPFC faliu e diz que esta foi maior goleada no majestoso ?????, deixa refrescar sua memória:

    http://futpedia.globo.com/campeonato/torneio-rio-sao-paulo/1933/09/10/sao-paulo-da-floresta-6-x-1-corinthians

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite! Vamos lá:
      1 - Não, não passo batom na boca;
      2 - Acho que valia vencer um clássico, né não? Não é motivação o suficiente?
      3 - Se você considerar o SPFC como continuação do São Paulo da Floresta, então as duas goleadas realmente se igualam como as maiores. O problema é que nem vocês, são-paulinos, têm uma decisão final sobre se os anos de Floresta valem ou não. Na verdade vivem mudando de ideia sempre que convém, e assim fica difícil.
      Obrigado pelo comentário!

      Excluir