As manchas que não interessa repercutir

♠ Publicado por Daniel Keppler em ,,, às 18:56
Jô lamenta anulação de seu gol contra o Coritiba (Foto: Daniel Augusto Jr )
11 de junho, Arena Corinthians. O Corinthians recebe o São Paulo pela 6ª rodada. Aos 17 do primeiro tempo, Júnior Tavares cobra falta para a área e encontra Gilberto, impedido, que cabeceia para empatar o jogo em 1x1. O gol ilegal só não prejudicou mais o Corinthians pois Gabriel marcou o segundo aos 40, e no fim o Timão acabou vencendo a partida por 3x2.
Lance do impedimento de Gilberto no gol do São Paulo (Foto: Reprodução / YouTube)
18 de junho, Couto Pereira. A partida contra o Coritiba, pela 8ª rodada, segue sem gols. Até que aos 44 do segundo tempo, Jô tabela com Maycon dentro da área do Coritiba e marca o gol que seria o da vitória corinthiana. Seria, se o árbitro Marcelo de Lima Henrique não marcasse impedimento inexistente do atacante e anulasse o gol. Como o jogo terminou 0x0, esse erro causou a perda de dois pontos ao Corinthians.
video
Gol mal anulado de Jô contra o Coritiba

25 de junho, Arena do Grêmio. Jogo de seis pontos entre líder e vice-líder pela 10ª rodada. Já no final do primeiro tempo, Rodriguinho tenta alcançar bola alçada na área, mas é agarrado pelo pescoço por Luan. Pênalti não marcado para o Corinthians, que só não fez a diferença no placar pois Jadson marcou na segunda etapa, e Cássio defendeu um pênalti já nos minutos finais do jogo.
Rodriguinho é agarrado dentro da área contra o Grêmio (Foto: Reprodução / Torcedores UOL)
23 de julho, Maracanã. Pela 16ª rodada, o Corinthians vai enfrentar o Fluminense pressionado após dois empates seguidos. Aos 33 do primeiro tempo, Giovanni Augusto cobra escanteio na área, e Jô é acintosamente puxado pela camisa por Léo. Pênalti não marcado, que só não prejudicou mais o Corinthians por causa do gol de Balbuena, no início do segundo tempo, que deu mais uma vitória ao líder do campeonato.
Jô é puxado na área contra o Fluminense (Foto: Reprodução / YouTube)
30 de julho, Arena Corinthians. Buscando abrir mais vantagem na ponta, o Timão recebe o Flamengo, pela 17ª rodada. Aos 12 minutos, Maycon recebe belo passe de Rodriguinho, invade a área pela direita e encontra Jô, que manda para o gol. O auxiliar, no entanto, levanta a bandeira e acusa impedimento do atacante em erro totalmente grosseiro (Jô estava 3,3 metros atrás da linha da bola), levando o árbitro a anular o gol. Erro que influenciou diretamente no resultado, pois a partida terminou empatada em 1x1.
video
Gol mal anulado de Jô contra o Flamengo

Esses cinco erros repercutiram pouco (ou quase nada) nas redes sociais, ou nos programas de TV. Quando repercutem, sempre vêm acompanhados dos comentários irônicos de sempre sobre como o Corinthians também é tão ajudado pela arbitragem (dane-se os números, o que importa é a falácia). A conclusão a que eles chegam é tão óbvia quanto cretina: errar contra o Corinthians é OK. Porque, afinal de contas, é o Corinthians né?

Outros elevam a cara-de-pau a outro nível, ponderando que o Corinthians não deveria reclamar tanto de uns erros de arbitragem, afinal é líder do Brasileirão, isolado e invicto. Para esses, parece pouco relevante que a pontuação atual do clube (41) poderia ser maior (45) e que a vantagem atual sobre o Grêmio poderia ser maior tanto em pontos (12 ao invés de 8) quanto em três critérios de desempate: vitórias, saldo de gols e gols pró.

A grande realidade, no entanto, é que isso tudo não repercute porque não interessa a ninguém - a não ser o próprio Corinthians. Afinal que campeonato seria esse onde um clube abre 12 pontos na liderança com 17 jogos? Não pode. Ainda mais sendo o clube que é... inadmissível!

Tamanha vantagem incomoda muito, e a muitos. Mas ela se mantém, mesmo depois de terem feito um dossiê de "como marcar gols no Corinthians". Mesmo depois de terem conseguido arrancar alguns detalhes da preparação tática do clube, através de uma entrevista com o auxiliar Osmar Loss.

Como o time não parou, começaram a lançar dúvidas sobre a escalação dos árbitros - né, Alex Müller?
Como isso também não deu certo, sobrou a histeria dos que não querem o título corinthiano pois, afinal de contas, outros jogam mais bonito e merecem mais. A plasticidade dando espaço à meritocracia em nome do anticorinthianismo.

Fica a dúvida sobre o que mais faltará fazer para tentar desestabilizar esse time fora de campo, pois dentro de campo já sabemos o que anda acontecendo: erros e mais erros, a maioria decisivos, sendo cometidos sem qualquer embaraço ou discrição. Afinal, não é erro quando é contra o Corinthians!

Resta a nós, corinthianos, continuar alertas, e já a partir do próximo jogo, contra o Atlético-MG fora de casa. O árbitro escalado foi Anderson Daronco, aquele mesmo que no Brasileirão do ano passado validou três gols irregulares contra o Corinthians. Não um, muito menos dois: foram três gols. Mais "manchas invisíveis" à vista?

0 comentários:

Postar um comentário