Corinthians 1x2 Independiente: derrota fora de hora em Itaquera

♠ Publicado por Daniel Keppler em ,,,, às 17:01
Sheik se tornou o primeiro jogador desde 2013 a ser expulso de um jogo de Libertadores sem tocar na bola (Foto: Reprodução)
Em 2014, a seleção brasileira sofreu um apagão e tomou cinco fatídicos gols em pouquíssimos minutos diante da Alemanha, no Mineirão. Ontem, uma das defesas mais sólidas do país passou pelo mesmo blackout, mas conseguiu se reerguer antes que o vexame batesse na porta.

Corinthians e Independiente inverteram papéis, tanto em Avellaneda, quanto em Itaquera. Lá, o Timão foi argentino. Como se estivesse em casa, se adaptou ao estilo de jogo do adversário, foi copeiro e saiu com a vitória. Aqui, o "Rei de Copas" deu uma de Corinthians. Foi para cima nos primeiros minutos, aproveitou as chances que teve e não vacilou lá atrás. Mortal e sutil.

Depois de um primeiro tempo horrível, o Time do Povo voltou para a segunda etapa abastecido e motivado pelo gol de redenção marcado antes do intervalo. Por alguns instantes, parecia que o Corinthians voltaria a ser Corinthians, mas fantasmas do passado pareciam pairar pela Zona Leste na noite de ontem.

O primeiro a ser assombrado foi Rodriguinho. Desastroso em campo, o meia abandonou o apelido de "Reidriguinho" para reencarnar o famoso "Podriguinho". Depois de errar tudo o que tentou, esperamos que ele tenha conseguido espantar esse fantasma que, ao meu ver, pode ser chamado de desgaste.

Mas um jogador conseguiu ser mais assombrado que o camisa 26. Emerson Sheik recebeu a visita de seu fantasma dos tempos em que não sabia mais o que era futebol. Ídolo indiscutível, o herói da Libertadores de 2012 errou de forma infantil e foi expulso sem ter tocado na bola. Sheik tentou ser malandro, mas foi pego na inocência de achar que sua atitude não teria consequências. Me arrisco a dizer que se ele não tivesse sido explulso, a gente teria empatado.

Salvo o desempenho pífio da equipe no primeiro tempo e o claro cansaço dos jogadores, que tiveram seis jogos em 17 dias, há um lado bom para se resgatar do jogo de ontem. PEDRINHO. O moleque é bom de bola e vem mostrando isso toda vez que entra em campo. Desarmar o jovem atacante parece impossível quando ele vem pela lateral. Que o Carille comece a colocá-lo com mais frequência e com mais tempo para o menino mostrar seu futebol, porque talento e disposição, ele tem.

* Por Caíque Stiva

0 comentários:

Postar um comentário